Apresentação
Doenças que causam feridas
Doenças que causam corrimento no homem
Doenças que causam corrimento na mulher
Doenças que causam verrugas

Abordagem Sindrômica nas Unidades de Saúde Município de São Paulo


    home     Unidades de Atendimento      APRESENTAÇÂO
Doenças que causam feridas
Herpes genital
Cancro Mole
Linfogranuloma Venéreo
Donovanose
Sífilis
Herpes Genital
a. O que é Herpes Genital?
b. Como o Herpes Genital é transmitido?
c. Quais são os sintomas do Herpes Genital?
d. Como o Herpes Genital é tratado?
e. O que acontece se o Herpes Genital não for tratado?
f. Os parceiros sexuais também precisam fazer o tratamento?
g. E se eu estiver grávida?
h. Como posso evitar o Herpes Genital?

a. O que é Herpes Genital?

O Herpes Genital é transmitido sexualmente por meio de um vírus chamado herpes simplex. O Herpes é extremamente comum e pode infectar homens e mulheres.

b. Como o Herpes Genital é transmitido?

O Herpes Genital é transmitido através do contato direto, pele a pele, com uma pessoa infectada. Normalmente o contato acontece durante sexo vaginal, anal ou oral. O vírus do Herpes pode ser transmitido de uma pessoa com a “ferida” para a boca de seu parceiro sexual através de um beijo, ou para a genitália através de sexo oral. O vírus do Herpes pode se desprender da pele mesmo sem feridas ou bolhas, portanto ele pode ser transmitido até mesmo quando a pele está aparentemente normal.

c. Quais são os sintomas do Herpes Genital?

Quando presentes, os sintomas podem incluir surtos seguidos de feridas e bolhas que aparecem e desaparecem sem deixar cicatrizes. As bolhas podem ainda esconder-se dentro da vagina. O primeiro surto de Herpes também pode ocasionar caroços, dores musculares, dores de cabeça, febre, e dor ou ardência ao urinar. Este primeiro surto ocorre de 2 a 12 semanas após infecção. Bolhas e feridas podem voltar a aparecer com periodicidade, mas são, normalmente, menos severas e desaparecem mais rápido que o primeiro surto. Surtos recorrentes podem começar com coceira ou ardência do pelo na área onde as bolhas e as feridas irão se formar.

d. Como o Herpes Genital é tratado?

Existem medicamentos que podem encurtar o surto de Herpes, minimizar o desconforto, e dificultar a transmissão. Os medicamentos podem também ser ministrados diariamente para diminuir a probabilidade de surtos. Apesar dos surtos de Herpes serem tratáveis, não existe cura para a infecção pelo vírus do Herpes.

e. O que acontece se o Herpes Genital não for tratado?

Desconforto e incomodo são os principais problemas associados ao Herpes Genital. Pessoas com o sistema imunológico debilitado podem sofrer surtos mais severos e complicados. Como outras doenças sexualmente transmissíveis (DST), o Herpes Genital, caso não seja tratado, aumenta a probabilidade de uma pessoa ser infectada ou infectar a outros com o vírus da AIDS, o HIV. Se você apresentar algum sintoma ou achar que foi exposto ao Herpes, procure uma unidade de atendimento especializada em DST/AIDS.

f. Os parceiros sexuais também precisam fazer o tratamento?

Sim. Se o diagnóstico der positivo para o Herpes, é importante avisar a todas as pessoas com quem você teve relações sexuais ultimamente para que elas também façam os exames médicos.

g. E se eu estiver grávida?

Uma mulher com Herpes Genital pode ter bebês normais, saudáveis e não-infectados, mas somente se tomadas as devidas providências. O Herpes Genital durante a gravidez pode causar parto pré-maturo ou complicações no parto. Ele pode causar cegueira, danos cerebrais, ou até a morte de um recém-nascido. Se você ou o seu parceiro tem Herpes e está grávida, é importante que você informe ao seu médico. Todas as mulheres grávidas devem fazer, o quanto antes, os exames médicos de doenças sexualmente transmissíveis (DST), inclusive o de HIV/AIDS. Você deverá refazer o teste durante a sua gravidez caso você tenha alto risco de contrair uma DST. DST não tratadas podem ser muito perigosas. Use camisinha sempre que fizer sexo.

h. Como posso evitar o Herpes Genital?

O uso de camisinhas nas relações sexuais pode ajudar a prevenir a contaminação por Herpes Genital, mas somente se a área infectada estiver coberta ou protegida pela camisinha. Se houver contato com uma ferida aberta, o Herpes Genital pode ser transmitido para as áreas não protegidas pela camisinha. Uma pessoa com Herpes não deve fazer sexo se houver uma ferida na boca, na genitália, no ânus ou nas nádegas.

Use camisinha sempre que fizer sexo vaginal, oral ou anal. Se você for alérgico a látex, você pode utilizar camisinhas de poliuretano ou outros materiais sintéticos.

Exames médicos e tratamentos gratuitos para DST, orientação e testagem gratuitos para HIV/AIDS, estão disponíveis nas unidades de saúde especializadas em DST/AIDS distribuídas por todas as regiões da cidade de São Paulo. Para uma lista completa das unidades de atendimento com seus endereços e telefones visite a Lista de Unidades Especializadas em DST/AIDS da Secretaria Municipal da Saúde.

Fonte: Department of Health and Mental Hygiene, New York City Government - 12/2003
Cancro Mole
a. O que é Cancro Mole?
b. Como é transmitido o Cancro Mole?
c. Quais são os sintomas do Cancro Mole?
d. Como o Cancro mole é tratado?
e. O que acontece se o Cancro Mole não for tratado?
f. Os parceiros sexuais também precisam fazer o tratamento?
g. E se eu estiver grávida?
h. Como posso evitar o Cancro Mole?

a. O que é Cancro Mole?

O Cancro Mole é uma infecção causada por uma bactéria que pode ser contraída por homens e mulheres.

b. Como é transmitido o Cancro Mole?

O Cancro Mole é transmitido através do contato direto com uma ferida de Cancro Mole durante sexo vaginal, anal ou oral.

c. Quais são os sintomas do Cancro Mole?

Os sintomas podem incluir feridas abertas com dor e secreção, e caroços na região da virilha. As feridas começam como simples caroços vermelhos, de quatro a sete dias após contato com a ferida da pessoa infectada. Estas feridas crescem e se aprofundam podendo sangrar e causar muita dor. Caso as feridas se formem na vagina, elas podem causar dor e sangramento durante a relação sexual, ou dor ao urinar. Caso as feridas surjam no ânus, pode haver dor e sangramento decorrentes de movimentos do intestino.

d. Como o Cancro mole é tratado?

O Cancro Mole pode ser tratado com antibióticos. Após terminar o tratamento você deverá retornar ao médico para certificar-se que todas as feridas sararam e que a infecção está completamente curada.

e. O que acontece se o Cancro Mole não for tratado?

Caso o Cancro Mole não seja tratado, ele pode causar danos sérios à pele e à genitália. Como outras doenças sexualmente transmissíveis (DST), o Cancro Mole, quando não tratado, aumenta a probabilidade de uma pessoa ser infectada ou infectar a outros com o vírus da AIDS, o HIV.

f. Os parceiros sexuais também precisam fazer o tratamento?

Sim. Se o diagnóstico der positivo para o Cancro mole, é importante avisar a todas as pessoas com quem você teve relações sexuais nos últimos 10 dias para que elas também façam os exames médicos e sejam medicadas. Tome todos os medicamentos indicados até o fim do tratamento mesmo se você melhorar antes de terminar. Não faça sexo até que as pessoas com quem você mantém relações sexuais tenham feito o tratamento completo e os sintomas tenham desaparecido, caso contrário você poderá ser reinfectado.

g. E se eu estiver grávida?

Ainda não se tem notícia de danos causados diretamente ao bebê durante a gravidez, mas é importante que o seu médico saiba que você está grávida para a prescrição correta do medicamento. Todas as mulheres grávidas devem fazer, o quanto antes, os exames médicos de doenças sexualmente transmissíveis (DST), inclusive o de HIV/AIDS. Você deverá refazer o teste durante a sua gravidez caso você tenha alto risco de contrair uma DST. DST não tratadas podem ser muito perigosas. Use camisinha de sempre que fizer sexo.

h. Como posso evitar o Cancro Mole?

Usando camisinha sempre que fizer sexo vaginal, oral ou anal. Se você for alérgico a látex, você pode utilizar camisinhas de poliuretano ou outros materiais sintéticos.

Exames médicos e tratamentos gratuitos para DST, orientação e testagem gratuitos para HIV/AIDS, estão disponíveis nas unidades de saúde especializadas em DST/AIDS distribuídas por todas as regiões da cidade de São Paulo. Para uma lista completa das unidades de atendimento com seus endereços e telefones visite a Lista de Unidades Especializadas em DST/AIDS da Secretaria Municipal da Saúde.

Fonte: Department of Health and Mental Hygiene, New York City Government - 12/2003
Linfogranuloma Venéreo
a. O que é Linfogranuloma Venéreo?
b. Como o Linfogranuloma Venéreo é transmitido?
c. Quais são os sintomas da Linfogranuloma Venéreo?
d. Como saber se tenho Linfogranuloma Venéreo?
e. Como Linfogranuloma Venéreo é tratado?
f. O que acontece se a Linfogranuloma Venéreo não for tratado?
g. Os parceiros sexuais também precisam fazer o tratamento?
h. E se eu estiver grávida?
i. Como posso evitar a Linfogranuloma Venéreo?

a. O que é Linfogranuloma Venéreo?

O Linfogranuloma Venéreo é uma infecção causada por uma bactéria que pode atacar homens e mulheres.

b. Como o Linfogranuloma Venéreo é transmitido?

O Linfogranuloma Venéreo é transmitido através do contato sexual com uma pessoa infectada.

c. Quais são os sintomas da Linfogranuloma Venéreo?

O primeiro sintoma pode ser uma pequena lesão no pênis ou na vagina, podendo normalmente passar despercebida. Em seguida a infecção se alastra para as glândulas linfáticas na região da virilha e tecidos próximos. As complicações podem incluir inflamação ou dor nas glândulas e ainda secreção ou sangramento.

d. Como saber se tenho Linfogranuloma Venéreo?

Nas unidades especializadas em DST/AIDS da cidade de São Paulo você encontrará profissionais capacitados a lhe orientar.

Clique aqui e descubra uma unidade de DST/AIDS.

e. Como Linfogranuloma Venéreo é tratado?

O Linfogranuloma Venéreo é tratado com antibióticos.

f. O que acontece se a Linfogranuloma Venéreo não for tratado?

Como outras doenças sexualmente transmissíveis (DST), o Linfogranuloma Venéreo, caso não seja tratado, aumenta a probabilidade de uma pessoa ser infectada, ou infectar a outros, com o vírus da AIDS, o HIV. Se você tiver algum sintoma ou achar que foi exposto ao Linfogranuloma Venéreo, faça o teste e o tratamento imediatamente para evitar complicações.

g. Os parceiros sexuais também precisam fazer o tratamento?

Sim. Se o diagnóstico der positivo para Linfogranuloma Venéreo, é importante avisar a todas as pessoas com quem você teve relações sexuais nos últimos 30 dias anteriores ao aparecimento dos sintomas para que elas também façam os exames médicos e sejam medicadas. Tome todos os medicamentos indicados até o fim do tratamento mesmo se você melhorar antes de terminar. Não tenha relações sexuais desprotegidas, caso contrário você poderá ser reinfectado.

h. E se eu estiver grávida?

Ainda não se tem notícia de danos diretos causados ao bebê durante a gravidez, mas é importante que o seu médico saiba da sua gravidez para a prescrição correta do medicamento. Todas as mulheres grávidas devem fazer, o quanto antes, os exames médicos de doenças sexualmente transmissíveis (DST), inclusive o de HIV/AIDS. Você deverá refazer o teste durante a sua gravidez caso você tenha alto risco de contrair uma DST. DST não tratadas podem ser muito perigosas. Use camisinha de sempre que fizer sexo.

i. Como posso evitar a Linfogranuloma Venéreo?

Use camisinha sempre que fizer sexo vaginal, oral ou anal. Se você for alérgico a látex, pode utilizar camisinhas de poliuretano ou outros materiais sintéticos.

Exames médicos e tratamentos gratuitos para DST, orientação e testagem gratuitos para HIV/AIDS, estão disponíveis nas unidades de saúde especializadas em DST/AIDS distribuídas por todas as regiões da cidade de São Paulo. Para uma lista completa das unidades de atendimento com seus endereços e telefones visite a Lista de Unidades Especializadas em DST/AIDS da Secretaria Municipal da Saúde.

Fonte: Department of Health and Mental Hygiene, New York City Government - 12/2003
Donovanose
a. O que é Donovanose?
b. Como a Donovanose é transmitida?
c. Quais são os sintomas da Donovanose?
d. Como saber se tenho Donovanose?
e. Como a Donovanose é tratada?
f. O que acontece se a Donovanose não for tratada?
g. Os parceiros sexuais também precisam fazer o tratamento?
h. E se eu estiver grávida?
i. Como posso evitar a Donovanose?

a. O que é Donovanose?

A Donovanose é uma infecção causada por uma bactéria que afeta a pele nas regiões da genitália, da virilha e do ânus. Ela causa úlceras e destruição da pele.

b. Como a Donovanose é transmitida?

A Donovanose é transmitida através do contato direto com feridas ou úlceras durante relações sexuais com uma pessoa infectada.

c. Quais são os sintomas da Donovanose?

Os sintomas podem incluir caroços e feridas. Os caroços evoluem transformando-se em feridas que, lentamente, aumentam em volume e extensão.

d. Como saber se tenho Donovanose?

Após a infecção, uma pequena úlcera, ferida ou caroço aparece na região da genitália. Lentamente a lesão se desenvolve em forma de úlcera ou caroço vermelho que, progressivamente, vai danificando a pele a sua volta. Seu médico ou outro profissional da saúde poderá orientá-lo.

e. Como a Donovanose é tratada?

A Donovanose pode ser tratada com antibióticos. Após terminar o tratamento você deverá retornar ao médico para certificar-se de que todas as feridas sararam e a infecção está completamente curada. Não faça sexo até que o tratamento esteja terminado e todos os sintomas tenham desaparecido.

f. O que acontece se a Donovanose não for tratada?

Caso a Donovanose não seja tratada, suas feridas podem aumentar significantemente gerando danos a grandes áreas de pele. Como outras doenças sexualmente transmissíveis (DST), a Donovanose, caso não seja tratada, aumenta a probabilidade de uma pessoa ser infectada, ou infectar a outros com o vírus da AIDS, o HIV. Se você tiver algum sintoma ou achar que foi exposto à Donovanose, faça o teste e o tratamento imediatamente para evitar complicações.

g. Os parceiros sexuais também precisam fazer o tratamento?

Sim. Se o diagnóstico para a Donovanose der positivo, é importante avisar a todas as pessoas com quem você teve relações sexuais nos últimos 60 dias para que elas também façam os exames médicos e sejam tratadas. Não tenha relações sexuais até que as pessoas com quem você mantém relações sexuais tenham feito o tratamento completo e os sintomas tenham desaparecido, caso contrário você poderá ser reinfectado.

h. E se eu estiver grávida?

Ainda não se tem notícia de danos diretos causados ao bebê durante a gravidez, mas é importante que o seu médico saiba da sua gravidez para a prescrição correta do medicamento. Todas as mulheres grávidas devem fazer, o quanto antes, os exames médicos de doenças sexualmente transmissíveis (DST), inclusive o de HIV/AIDS. Você deverá refazer o teste durante a sua gravidez caso você tenha alto risco de contrair uma DST. DST não tratadas podem ser muito perigosas. Use camisinha de sempre que fizer sexo.

i. Como posso evitar a Donovanose?

Usando camisinha sempre que fizer sexo vaginal, oral ou anal. Se você for alérgico a látex, você pode utilizar camisinhas de poliuretano ou outros materiais sintéticos.

O uso de camisinhas nas relações sexuais pode prevenir a contaminação por Donovanose, mas somente se a área infectada estiver coberta ou protegida pela camisinha. Se houver contato com uma ferida aberta, a Donovanose pode ser transmitida.

Exames médicos e tratamentos gratuitos para DST, orientação e testagem gratuitos para HIV/AIDS, estão disponíveis nas unidades de saúde especializadas em DST/AIDS distribuídas por todas as regiões da cidade de São Paulo. Para uma lista completa das unidades de atendimento com seus endereços e telefones visite a Lista de Unidades Especializadas em DST/AIDS da Secretaria Municipal da Saúde.

Fonte: Department of Health and Mental Hygiene, New York City Government - 12/2003
Sífilis (Cancro Duro)
a. O que é Sífilis?
b. Como a Sífilis é transmitida?
c. Quais são os sintomas da Sífilis?
d. Como a Sífilis é tratada?
e. O que acontece se a Sífilis não for tratada?
f. E se eu estiver grávida?
g. Como evitar a Sífilis?

a. O que é Sífilis?

Sífilis é uma doença sexualmente transmissível (DST) causada por uma bactéria que pode ser contraída por homens, mulheres e seus recém-nascidos.

b. Como a Sífilis é transmitida?

A Sífilis é transmitida por contato direto com o portador da bactéria da Sífilis, Treponema pallidum, durante contato sexual, incluindo sexo oral, vaginal ou anal. O beijo também pode transmitir Sífilis caso uma das pessoas possua uma lesão nos lábios ou na boca. Mulheres grávidas podem transmitir a doença para seus bebês antes do nascimento.

c. Quais são os sintomas da Sífilis?

A maioria das pessoas infectadas pela Sífilis não apresenta sintomas. Quando os sintomas aparecem, eles podem incluir erupções ou feridas (principalmente nas palmas das mãos e dos pés). Feridas abertas, chamadas de cancros, podem aparecer no pênis, no ânus, dentro ou fora da vagina, na boca ou nos lábios, ou em qualquer parte da pele exposta à bactéria durante o ato sexual. Outros sintomas que podem aparecer são: perda desigual de cabelo, febre, caroços, dores musculares e cansaço.

Quando os sintomas aparecem, normalmente, duram várias semanas e desaparecem, mesmo sem tratamento. Após os sintomas desaparecerem, a Sífilis continua no corpo. Se ela não for tratada, futuramente, pode provocar sérios danos permanentes ao coração, cérebro e ao sistema nervoso.

d. Como a Sífilis é tratada?

A Sífilis é tratada com antibióticos, geralmente, em dose única. Porém, para ser curada e evitar lesões permanentes, a Sífilis deverá ser tratada em seu estágio inicial. Lesões de longa exposição causadas pela Sífilis não têm cura. E mesmo após o tratamento, ainda é possível ser reinfectado.

e. O que acontece se a Sífilis não for tratada?

Apesar dos sintomas externos desaparecerem mesmo sem tratamento, a infecção continua no corpo. Se ela não for tratada, futuramente poderá provocar sérios danos permanentes ao coração, cérebro e ao sistema nervoso. Os danos podem não aparecer por anos, mas o resultado final pode ser cegueira, demência, deformidades ósseas ou até a morte.

f. E se eu estiver grávida?

Uma gravidez com Sífilis não tratada pode trazer sérios problemas ao recém-nascido, como por exemplo: retardo mental, cegueira, deformidades, e até, a morte.

Todas as mulheres grávidas devem fazer, o quanto antes, os exames médicos de doenças sexualmente transmissíveis (DST), inclusive o de HIV/AIDS. Mulheres infectadas devem fazer o tratamento imediatamente e refazer os exames durante a gravidez. É importante que o parceiro também seja tratado, pois caso contrário, a mulher será reinfectada se vier a ter novas relações com este. DST não tratadas podem ser muito perigosas. É importante o uso da camisinha sempre que fizer sexo.

g. Como evitar a Sífilis?

O uso de camisinhas nas relações sexuais pode ajudar a prevenir a contaminação por Sífilis, mas somente se a área infectada estiver coberta ou protegida pela camisinha. Se houver contato com uma ferida aberta, a Sífilis pode ser transmitida para áreas não protegidas pela camisinha. Uma pessoa com Sífilis não deve fazer sexo desprotegido se houver uma ferida na boca, genitália, ânus ou nádegas.

Exames médicos e tratamentos gratuitos para DST, orientação e testagem gratuitos para HIV/AIDS, estão disponíveis nas unidades de saúde especializadas em DST/AIDS distribuídas por todas as regiões da cidade de São Paulo. Para uma lista completa das unidades de atendimento com seus endereços e telefones visite a Lista de Unidades de Atendimento Especializadas em DST/AIDS da Secretaria Municipal da Saúde.

Fonte: Department of Health and Mental Hygiene, New York City Government - 12/2003